Suor na adolescência: como acontece e porque é  natural

Além das mudanças corporais, que são naturais nesta fase, existem também as mudanças
biológicas, psicológicas e sociais que impactam fortemente na evolução de um ser humano.
Normalmente as questões de desenvolvimento sexual são as mais evidenciadas neste período.
Contudo, mudanças significativas acontecem em outras áreas da vida. Uma delas está relacionada ao aumento do suor e mau odor.

Por que o suor aumenta nesta fase?

Devido ao aumento do hormônio testosterona, as glândulas sudoríparas trabalham em dobro,
aumentando a transpiração e também o mau odor.

Como a testosterona está presente 30 vezes mais nos meninos do que nas meninas, é normal
que eles apresentem um aumento mais acentuado na transpiração, contudo elas não passam
ilesas por essa fase, dado que algumas sofrem da síndrome dos ovários policísticos (SOP) –
uma doença caracterizada pelo aumento da produção de hormônios masculinos pelos ovários.

O suor é fundamental para o controle da temperatura do corpo e está presente em qualquer
estágio da vida sendo ele composto essencialmente por água e sal.

Existem dois tipos de glândulas que produzem suor: as écrinas e as apócrinas. As glândulas
écrinas estão espalhadas em todo o corpo e atuam durante toda a vida do indivíduo. Já as
glândulas apócrinas são localizadas principalmente em axilas.

Vale lembrar que não é o suor em si que causa o mau cheiro. Afinal, ele é inodoro. O que causa
o odor desagradável é o contato do suor com as bactérias presentes na axila.

Alguns fatores são cruciais para o aumento do suor, como: stress, ansiedade, calor, ambientes
fechados, comidas e bebidas quentes, entre outros.

Os principais sinais de que o suor em excesso está ligado à puberdade são:

  • A pessoa transpira em momentos de nervosismo e ansiedade;
  • O adolescente começa a transpirar muito mais durante apresentações da escola, conversas
    mais intensas com os pais ou em momentos sociais mais delicados, por exemplo;
  • Ao mesmo tempo, ele pode suar sem motivo.

Já é costume apresentar um suor mais elevado durante o futebol, a corrida ou em algum
momento de maior esforço físico. Porém, ele começa a notar que mesmo sem esforço ou
tensão alguma, começa a suar.

Isso acontece porque as glândulas apócrinas, que surgem a partir da puberdade, produzem
suor constantemente e trabalham em dobro para regular o organismo durante a produção da
testosterona. Mesmo usando uma quantidade considerável de desodorante, o adolescente continua
transpirando excessivamente.

Você percebe que ele está com um nível de suor elevado, procura se prevenir e utiliza
antitranspirantes em quantidade muito alta. Isso em certo momento pode ajudar, mas não
muito.

Aqui está a dica para encarar essa fase tranquilamente e deixar o jovem mais seguro
em relação ao odor e suor: utilizar produtos com performance superior e benefícios adicionais
aos desodorantes comuns.

Você sabia que produtos com o selo “CLINICAL” oferecem proteção superior contra a
transpiração excessiva?

Uma de suas principais características é a presença de tetraclorohidrex de alumínio/zircônio
GLY (AZG) – o ativo antitranspirante mais eficaz do mundo – em suas fórmulas. Totalmente
seguro, o tetraclorohidrex na concentração de 20% é um ótimo aliado na luta contra a
transpiração excessiva.

Quando aplicado antes de dormir, a fórmula do produto é potencializada , apresentando
resultado superior no combate à transpiração e mau odor.

A Soffie oferece uma ampla variedade de desodorantes antitranspirantes CLINICAL. São três
fragrâncias e uma versão exclusiva para quem tem pele sensível.

Clique aqui e conheça a linha completa